8 de nov de 2012

O amor é cego


Esta afirmação do título é bem conhecida e eu, particularmente, já ouvi dezenas de interpretações.

A minha, se resume no seguinte: quando estamos amando, ficamos cegos, ou seja, acreditamos que a pessoa sente o mesmo pela gente, na mesma intensidade e, por isso, passamos a não enxergar coisas que só o tempo nos mostra (às vezes nem o tempo)...

Aliás, pensando bem, até me arrisco a dizer que a PAIXÃO também é cega à sua maneira.
No começo é tudo muito lindo, como a gente já sabe...o interesse, o papo, o frio na barriga, a ansiedade em saber se ele vai ligar, se vai rolar um segundo encontro, se ele gostou, etc.
Depois vem o relacionamento e fica tudo diferente. Não estou dizendo que a paixão deixa de existir, mas passamos a conviver com manias, outra família, outros pontos de vista e assim vai...(depois faço um post sobre as intimidades).
Após tudo isso, se restar o amor para ambas as partes, ótimo!

O amor é maravilhoso....mas nada nesta vida é perfeito...
Cada cabeça é um universo e nunca vamos saber tudo o que se passa com o outro.
Essa situação será às vezes interessante, às vezes frustrante.

Interessante, pois o convívio com outro ponto de vista nos permite enxergar as coisas de maneira com a qual não estamos acostumadas. E frustrante porque, outra pessoa nunca fará exatamente tudo aquilo que esperamos.
Se jogue à adesão de novas idéias, mas não permita-se a falta de respeito.
Ao mesmo tempo em que não podemos controlar a outra pessoa, também não precisamos ceder à tudo em nome do sentimento. O que faz o amor deixar de ser cego é o equilíbrio entre as duas coisas.
Respeite a identidade do outro e a sua também!

Beijos, 

Fêmea Alfa

Nenhum comentário:

Postar um comentário